Durante as preparações para a Copa do Mundo no Brasil, as manifestações pacíficas estão sendo violentamente reprimidas pela polícia

Não me interessa a copa, eu quero saúde e educação

Manifestação de 16 de junho no Rio de Janeiro

O governo de Dilma Rouseff enfrenta uma grande onda de manifestações no Brasil, as quais estão sendo violentamente reprimidas pela Polícia Militar (PM). Na última sexta-feira, no 14 de junho, de quando Dilma Rouseff  estava fazendo uma promoção da Copa do Mundo de 2014 na Rocinha, que é uma das maiores favelas do Rio de Janeiro, os demonstrantes enfrentavam a violência policial. A presidenta está tentando construir uma imagem de um milagre brasileiro, o qual se deveria a Copa do Mundo :

“Quando perguntarem o que é que nós ganhamos com a Copa do Mundo além da alegria de ver o Brasil jogar assim como com a Copa das Confederações, onde todos nós também temos esperanças que o Brasil venha a ganhar, diga-se então que nós ganhamos a melhoria da segurança pública, que ganhamos com a construção da infraestrutura, as quais são essenciais. Aqui temos por ex. a expansão do metrô, assim como das vias e das estradas.”

O movimento de protesto contra as medidas de austeridade do governo mostra-se em todas as partes do país. O coração da erupção social encontra-se em Porto Alegre, no Estado do Rio Grande do Sul. No último 13 de junho milhares de pessoas estavam reunidos em frente do hotel da cidade para demonstrar contra o aumento da trarifa do transporte público. Em março desse ano milhares de cidadãos já tinham protestado contra o aumento do preço da passagem do ônibus que ia de R$  2.85 à R$ 3.85.

Manifestação de 25 de março 2013 em Porto Alegre contra o aumento da passagem do ônibus

O poder judiciário então deu razão aos cidadãos de qunado dando uma ordem permanente de congelamento do preço do transporte público.

Entretanto, essa ordem poderá ser revogada a qualquer momento. A decisão judicial foi contestada pelas companhias de transporte, o que levou a uma nova onda de manifestações na semana passada.  Em outubro de 2012 centenas de estudantes e ativistas já haviam demonstrado contra a privatização do espaço público de quando a cidade autorizou a Coca-Cola de usar a praça do Largo Glênio Peres para colocação de sua gigante mascote da Copa do Mundo 2014.

Manifestação contra a mascote da Coca-Cola e a privatização do espaço público, em 4  de outubro 2012

Quarta manifestação em Porto Alegre no último abril reuniu mais de 5.000  cidadãos, conforme dados da Brigada Militar (Foto: Ricardo Duarte/Agência PB S)

Vídeo : Manifestação de 13 de junho de 2013 em Porto Alegre,  TV Brasil

Porto Alegre : Manifestação de 17 de junho de 2013, os pacíficos manifestantes (mais de 10.000)  são disperçados violentamente pela políciaFoto:  Daniel Favero / Terra

 

Balas de borracha utilizadas pelas forças policiais para dispersar violentamente os manifestantes pacíficos,  17 de junho de 2013.  Foto:  Daniel Favero / Terra

Em São Paulo,o movimento Passe Livre reinvidicava transportes públicos gratuitos (as manifestações de 11 e de 13 de junho fizeram manchete de jornal no Brasil). O aumento abusivo da tarifa provocou primeiro um apelo no Facebook para uma manifestação no centro da cidade, mas então o movimento de protesto estendeu-se rapidamente a todo o país. O protesto denunciava tanto o preço dos transportes numa escala nacional, quanto a má gestão dos recursos públicos assim como a corrupção.  As manifestações caracterizaram-se pela brutalidade das forças de segurança pública. Manifestações similares tiveram também lugar no Rio de Janeiro e em Goiânia.

 

 

Video :  Copa do Mundo, manifestações e violência policial

O Brasil está orgulhosos da vitória contra o Japão, conquanto o descontentamento popular assim como a violência policial continuam a persistir por todo o país.

 

Milhares de brasileiros demonstraram no Rio de Janeiro em frente ao Estádio Mané-Garrincha denunciando o custo astronômico das despesas do Campeonato Mundial, o qual oficialmente deveria estar a chegar aos 15 milhões de dólares. Esses custos estão sendo vistos como em detrimento dos programas sociais como o de alojamentos residenciais. Os preços da comida também sobem muito rapidamente. Depois de 2012, os preços das frutas e legumes por ex. aumentou de 33%.

A presidenta estava tentando convencer a populaçã em 16 de junho de quando ela declarou na Rocinha que :

Essas são construções que melhoram a situação da cidade. Pode ser que imediatamente, e por um curto período,  essas obras possam servir o conforto dos turistas, mas para o resto da vida essa será uma melhora de vida para a população brasileira.”

No sábado de 15 de junho em Brasília  uma manifestação foi reprimida pela violência. Isso ocorreu na inauguração da Copa das Confederações no jogo Brasil-Japão. Os milhares de manifestantes foram dispersados por golpes de cacetetes, de tiros de balas de borracha, e por gás lacrimogenio. Uma outra manifestação também ocorreu no Rio de Janeiro, precedendo o primeiro jogo da Confederação. Essa demonstração ocorreu frente ao jogo Itália e México, no domingo 16 de junho.

VIDEO  (Covardia no Maracanã)

 

A violência policial deixou centenas de feridos. Também foram feitos emprisionamentos em massa, e dentre esses os de um grande número de jornalistas.

O presidente da FIFA disse que:  “O futebol tem mais força que as pessoas descontentes” (isso enquanto falava dos demonstrantes). Ele então também disse que :

“Nós também estivemos vendo isso na Turquia e eu tenho toda a confiança nas autoridades” (Nous avons également vu ceci en Turquie et nous faisons confiance aux autorités.)

Mais do que a metade da população apoia as demonstrações. De acordo com a sondagem da Folha de São Paulo  esse apoio seria de 55% da população. Demonstrações de uma tal amplitude não foram vistas desde 1992, de quando a população exigiu o “impeachment” de Collor de Mello enquanto denunciava a corrupção de seu governo.

Música e manifestações

Artistas também se mobilizaram e se manifestaram com palavras e com música. O cantor Leoni compos em apoio aos demonstrantes a canção “As coisas não caem do céu” :

Demonstrações em massa também tiveram lugar por todo o país hoje (17 de junho de 2013).

O governo brasileiro advertiu na segunda-feira de 17 de junho que não se irá permitir que manifestações e demonstrações pertubem a Copa de futebol das Confederações. Essa declaração foi feita logo antes de novos agrupamentos para protestar contra o aumento do preço dos transportes públicos e do custo da Copa do Mundo de 2014. “Aquele que acreditar que poderá impedir a realização das atividades esportivas, e dos acontecimentos a esses relacionados, enfrentará a determinação do governo. As demonstrações serão aceitas dentro dos devidos limites”. Essa foi a admoestação do ministro dos esportes, Aldo Rebelo, de quando do forum sobre a economia do futebol noRio de Janeiro em se referindo a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. (Le Monde, 17 de junho de 2013)

Micheline Ladouceur

 

Referências e Notas:

Dr. Micheline Ladouceur ”Pendant les preparatifs de la Coupe du Monde au Brésil, des manifestations pacifiques sont violentement reprimées par le police”.

O original encontra-se em www.mondialisation.ca

Police violence BrésilPendant les préparatifs de la Coupe du Monde au Brésil, des manifestations pacifiques sont violemment réprimées par la police, 17  e Junho de 2013 (artigo revisado no 18 de Junho)

Tradução Ph.Lic. Anna Malm

http://artigospoliticos.wordpress.com



Articles Par : Micheline Ladouceur

A propos :

Ph.D. en géographie. Spécialiste des questions latino-américaines et brésiliennes. Directrice associée du Centre de recherche sur la Mondialisation, Rédactrice de Mondialisation.ca et des pages en portugais et en italien.

Avis de non-responsabilité : Les opinions exprimées dans cet article n'engagent que le ou les auteurs. Le Centre de recherche sur la mondialisation se dégage de toute responsabilité concernant le contenu de cet article et ne sera pas tenu responsable pour des erreurs ou informations incorrectes ou inexactes.

Le Centre de recherche sur la mondialisation (CRM) accorde la permission de reproduire la version intégrale ou des extraits d'articles du site Mondialisation.ca sur des sites de médias alternatifs. La source de l'article, l'adresse url ainsi qu'un hyperlien vers l'article original du CRM doivent être indiqués. Une note de droit d'auteur (copyright) doit également être indiquée.

Pour publier des articles de Mondialisation.ca en format papier ou autre, y compris les sites Internet commerciaux, contactez: [email protected]

Mondialisation.ca contient du matériel protégé par le droit d'auteur, dont le détenteur n'a pas toujours autorisé l’utilisation. Nous mettons ce matériel à la disposition de nos lecteurs en vertu du principe "d'utilisation équitable", dans le but d'améliorer la compréhension des enjeux politiques, économiques et sociaux. Tout le matériel mis en ligne sur ce site est à but non lucratif. Il est mis à la disposition de tous ceux qui s'y intéressent dans le but de faire de la recherche ainsi qu'à des fins éducatives. Si vous désirez utiliser du matériel protégé par le droit d'auteur pour des raisons autres que "l'utilisation équitable", vous devez demander la permission au détenteur du droit d'auteur.

Contact média: [email protected]